Books Should Be Free is now
Loyal Books
Free Public Domain Audiobooks & eBook Downloads
Search by: Title, Author or Keyword

Memoria ácerca dos Portuguezes na Abyssinia   By:

Book cover

First Page:

Visconde de Soveral

Memoria ácerca dos Portuguezes na Abyssinia

Porto Typographia do «Comercio do Porto» 1894

Memoria ácerca dos Portuguezes na Abyssinia

Visconde de Soveral

Memoria ácerca dos Portuguezes na Abyssinia

Porto Typographia do «Comercio do Porto» 1894

Memoria ácerca dos Portuguezes na Abyssinia

A conquista de Ceuta por El Rei Dom João I em 24 de agosto de 1415 , foi, como refere um historiador allemão, o primeiro élo da grande cadeia que os marinheiros portuguezes estenderam á roda da Africa até encontrar o paraizo da India.

De facto aquelle ousado emprehendimento não tardou em produzir outros de maior alcance.

No anno de 1480, reinando El Rei Dom Affonso V, Pero da Covilhã é o primeiro portuguez que chega á Abyssinia por terra, seguindo depois pelo mar Roxo, á costa oriental da Africa até Sofala.

Affonso de Albuquerque lança em 1507 os alicerces á fortaleza de Ormuz (no mar Persico), cuja fortaleza Portugal conservára até o anno de 1622, quando Xá Abas, rei da Persia, a retomára com auxilio dos inglezes. Existiam alli a esse tempo, cinco egrejas e um convento de Padres Agostinhos.

A prodigiosa actividade de El Rei Dom Manoel levou os portuguezes ao descobrimento desde o Indo ao Ganges, de toda a Ethiopia e Persia, com todos os mares, portos, enseadas e ilhas, a toda a China e á de Malaca.

Foi aquelle Soberano quem mandou á Abyssinia, na qualidade de seu Embaixador, Dom Francisco Alvares, o qual passados alguns annos em 1558 publicou a «Historia descriptiva da Ethiopia».

Damião de Goes e Faria e Souza, julgam a obra defeituosa; todavia parece fóra de duvida ser o primeiro escripto detalhado ácerca da Abyssinia.

Miguel de Castanhoso publicou em 1541 a sua interessante historia ácerca da expedição dos portuguezes sob o mando do valoroso Affonso de Albuquerque. Esta historia, apesar de contar 343 annos depois da sua publicação, o governo italiano julgou acertado (no interesse da sua recente expedição á Abyssinia) mandar traduzil a sob o titulo: «Storia della spedizione Portughese in Abyssinia nel seculo XVI, narrata da Michelo de Castanhoso».

Os primitivos exploradores portuguezes eram invariavelmente seguidos de fervorosos missionarios das ordens religiosas que n'essas epochas remotas de preferencia se empregavam na propagação da fé as de Santo Agostinho, S. Francisco e S. Domingos. Foram os missionarios d'essas ordens os primeiros que levaram a religião christã á Africa, Asia e America.

Apenas organisada a Companhia de Jesus em 1540 , os padres d'aquella ordem, especialmente os portuguezes, prestaram importantes servicos á fé, á civilisação, á agricultura e ao commercio, em toda a vastidão do territorio aonde o pendão das quinas tinha alcançado. A elles é igualmente devida a descoberta da origem do Nilo. Os padres portuguezes Pedro Paes e Francisco Lobo levaram a effeito essa arrojada empreza.

Segue se a narrativa, publicada em 1665, do Patriarcha Dom João Bermudez, o qual viera a Portugal na qualidade de Embaixador do Rei da Abyssinia junto de El Rei Dom Sebastião. O Patriarcha descreve com especialidade os combates e as victorias de Dom Christovão da Gama na Abyssinia.

Os padres da Companhia, Patriarcha Affonso Mendes, Melchior da Silva, Francisco Lobo e Nicolau Godinho, escreveram igualmente sobre a Abyssinia. Este padre publicou em Roma, (em latim), tres obras importantes; uma refutando o que sobre a Abyssinia escrevera o padre Dom Luis Urreta, hespanhol, e frade Dominicano. A segunda ácerca da vida do padre Gonçalves da Silveira, martyrisado na Africa oriental, em 15 de março de 1561; e a terceira: «De Abassiorum Rebus de que Aithiopiæ Patriarchus Joanne Nonio Barreto & Andrea. Oviedo, 1615».

Que os escriptos dos missionarios portuguezes eram tidos em grande apreço nos seculos XVI e XVII, temos muitas provas; entre outras uma carta geographica (da qual possuimos um exemplar), publicada em Veneza no tempo da Republica, intitulada: «Abyssinia, dove sono le Fonti del Nilo, discrita secondo le relationi de P... Continue reading book >>




eBook Downloads
ePUB eBook
• iBooks for iPhone and iPad
• Nook
• Sony Reader
Kindle eBook
• Mobi file format for Kindle
Read eBook
• Load eBook in browser
Text File eBook
• Computers
• Windows
• Mac

Review this book



Popular Genres
More Genres
Languages
Paid Books